O CHAVEIRO DA VEZ

chaveirooneFoi-se o tempo em que chaveiro era só um organizador de chaves. 

Chaveiro  compõe o nosso visual,  chama atenção e tem que combinar com a bolsa, com as jóias e bijus. Mas, atenção! Não estamos falando de chaveiro brinde de feira de informática, aquele de concessionária de carro ou aquele que a gente ganha quando vai fazer cópia de chave perdida. Chaveiro agora tem tema, segue tendências de moda, é feito de material nobre e ganha status de jóia quando em ouro e pedras preciosas. Virou um ícone de destaque e está na coleção de muitas marcas famosas. 

 

chaveiroLV1

 

Chaveiro não tem só argola para chaves, mas um gancho diferente, também chamado de “mosquetão” para prender em qualquer lugar da bolsa – do lado de dentro ou do lado de fora – com ou sem as chaves.

chaveiro2

Chaveiro agora é item cobiçado e vai balançando nas mãos, com o mosquetão preso em um dos dedos, como se fosse um anel, enquanto a gente toma um sorvete, dá uma volta no parque ou vai até a escola buscar as crianças. Chaveiro agora disputa lugar com o celular na mesa do restaurante e precisa ficar de fora para todo mundo ver!

chaveiro8

Para o dia-a-dia, vale um chaveiro reserva – aquele só com a chave do carro, bacana, mas menos valioso, só para andar na mão de guardador e manobrista. Chaveiro titular a gente não empresta para ninguém.

Chaveiro está custando caro, mas vale a pena pela beleza de design, pela criatividade na concepção e pelo cuidado na escolha de materiais de muito bom gosto e qualidade.

chaveiroprada

Chaveiro agora é como óculos ou relógio, acessórios úteis e indispensáveis que a gente reveza de acordo com o visual escolhido.

E para aqueles dias mais alegres, mais floridos, que você está se sentindo uma menina, use a criatividade. Um chaveiro diferente e chamativo deixa qualquer bolsa mais bonita e moderna!

chaveiro1Então, vamos caprichar no chaveiro?

Anúncios

ARRUMANDO O ARMÁRIO 6: GUARDAR BOLSAS

guardar bolsa_bl00

Depois de escrevermos muito sobre arrumação de armários, percebemos que faltou o ARRUMANDO O ARMÁRIO 6! Como podíamos esquecer deste item tão amado! Bolsas, claro!

Bolsas devem ser guardadas preferencialmente em pé, uma ao lado da outra ou uma apoiando a outra.
Se guardadas deitadas, não podem ser empilhadas em quantidade, pois o peso pode causar marcas e rugas no couro, que dependendo do tipo, podem ser irreversíveis. Não guarde bolsas com coisas dentro – além de caírem no esquecimento, esses objetos também podem causam marcas e até rasgos.
O couro legítimo é orgânico e precisa de ventilação, senão mofa. Para minimizar a ação do mofo, embale as bolsas de couro em sacos de TNT, que permitem o couro respirar, mas não deixam a umidade entrar. A foto abaixo mostra sacos de TNT e plástico transparente que permite a visualização da bolsa ao mesmo tempo que a deixa respirar.

 

guardar bolsa_bl5
Materiais sintéticos não mofam, mas podem grudar e soltar tinta se muito apertados uns contra os outros. Os sacos de TNT são uma solução para esse caso também. Use um saco para cada bolsa, em ambos os casos.

Bolsas com alças longas devem ser penduradas, mas se não for possível, enrole cuidadosamente as alças evitando dobras. Existem ganchos próprios para pendurar bolsas e acessórios, em formato S, de metal, para se colocarem junto aos cabides. Caso não encontre os ganchos em formato S, um bom cabide de madeira ou de plástico, daqueles de pendurar ternos também pode ajudar.

guardar bolsa_gancho S

guadar bolsas_Large_Handbags

Bolsas bordadas ou com apliques precisam de proteção redobrada; seria ótimo se pudessem ser guardadas em sacos de feltro.  

guardar bolsa_bl2Os sacos de feltro também são excelentes na proteção de bolsas e carteiras de verniz. A fim de otimizar seu espaço, não deixe de descartar as bolsas que você não usa; assim como falamos no descarte de roupas, as bolsas em excelente estado podem ser vendidas ou trocadas em brechós e as demais doadas para pessoas queridas. Bolsas ocupam muito espaço e se deterioram facilmente quando mal armazenadas, portanto tenha uma atenção redobrada com esse patrimônio. 

Adotamos um lema muito prático para a rotina de nossos armários – para cada peça que entra, uma tem que sair. Com essa premissa, pensamos bem antes de comprar, analisamos as reais necessidades e nos comprometemos a cuidar e manter nossas peças queridas! Pense nisso.