Receita MÁGICA para limpar seus tesouros de PRATA!

Receita mágica para deixar seus objetos de prata limpinhos!

Receita mágica para deixar seus objetos de prata limpinhos!

Testado e aprovado!

A Ly fez e deu certíssimo. E não precisou comprar nada, pois tinha tudo em casa.

Quer ver suas bijus de prata limpas e brilhantes?

Então vamos à receitinha mágica!

Ingredientes:

-1 colher de sobremesa de fermento em pó

-1 colher de sobremesa de sal

– 1 xícara (250 ml) de água bem quente, suficiente para cobrir as peças.

– Papel alumínio

Modo e fazer:

Escolha uma tigela média de vidro ou porcelana e forre com papel alumínio.

Coloque o fermento e o sal e misture.

Aqueça a água e coloque na tigela com cuidado, pois vai espumar um pouquinho.

Em seguida, coloque as peças que vão ser limpas, de maneira a ficarem totalmente submersas na solução.

Agora deixe uns 20 minutos de molho, ou até as peças ficarem bem limpas e enxague bem com água corrente.

Enxugue com um pano bem macio, para não riscar as peças e pronto!

Agora é só usar.

Para a limpeza de talheres ou peças maiores, escolha uma travessa grande e duplique/triplique a receita conforme a necessidade.

Você também pode usar assadeiras de alumínio, que substituem à travessa e o papel alumínio com a mesma eficiência.

Dica importante – não aconselhamos fazer essa receita para peças que tenham pedras coladas e nem para peças que tenham pérolas, que podem ser danificadas.

ANEL TRINITY – A CELEBRAÇÃO DA PAIXÃO NO MUNDO

ALCom grande relançamento no meio do ano, a Cartier também resgata um ícone dos anos 20, sucesso nas mãos de famosos e apaixonados e que agora vemos incluído no conjunto das tendências mais atuais de vitrines e looks de moda – o anel Trinity. O anel Trinity é feito com três alianças de ouro de cores diferentes. Cada uma representa os três estágios de um relacionamento: o ouro amarelo significa fidelidade, o ouro rosa, amor, e o ouro branco, amizade. 
O anel Trinity é uma das jóias mais tradicionais de Cartier e foi criado em 1924, inspirado nos anéis de Saturno. Foi um pedido de Jean Cocteau, poeta romancista famoso do século XX, que presenteou muitas pessoas com o anel e por esta razão e pelo sucesso da jóia,  ele passou a ser o embaixador do anel.
Encontramos diversos modelos em joalherias e lojas de bijuterias – em ouro, prata, aço e ligas banhadas e folheadas – para todos os gostos e bolsos.

Escolha a sua e fique linda!

ÂMBAR

ambar4O âmbar é uma pedra que, desde a Antigüidade, encanta e continua encantando as pessoas. Na verdade não é mineral, apesar de ser tratada como tal e sim, uma resina fossilizada de árvores antigas, que era fabricada como proteção contra as bactérias e contra os insetos que furavam sua madeira. Com o tempo, essa resina amarelada foi perdendo a água e o ar. Endureceu e se transformou naquilo que chamamos de âmbar.  Tão logo descoberto, o âmbar foi utilizado para  a fabricação de jóias e estatuetas. Também usado como remédio, em pó, misturado com mel, para curar várias doenças e ainda como amuleto contra forças do mal.

ambar2

Uma característica física do âmbar – quando esfregado com um pano, ele se eletrifica e atrai pedaços de papel e por isso, seu nome grego é elektron – eletricidade. E essa é uma das maneiras de se diferenciar um âmbar verdadeiro de um falso.

 ambar6

O âmbar tem uma importância histórica para a humanidade, uma vez que, em algumas peças, podem ser encontrados insetos, pequenos animais, flores e folhas datados da pré-história, que conservam detalhes importantes para estudo.

ambar1

Apesar de encontrarmos os tons de amarelo em abundância, as pedras de âmbar também existem em vermelho, branco, marrom, verde e azul.

ambar5

Jóias com âmbar verdadeiro são itens mais antigos – costumamos admirá-las em nossas avós, muitas vezes achamos guardadas nas coisas de nossas mães, nas feiras de antiguidades ou tivemos a sorte de receber de herança.

ambar7

Resgate suas peças de âmbar neste verão. Devem ser limpas apenas com água e detergente neutro. Mesmo antigo, o âmbar exerce fascínio pela sua beleza simples e colorida.

E viva o âmbar neste verão ensolarado !